sábado, 27 de dezembro de 2014

PE. ONÉCIMO ALBERTON É ELEITO NOVO BISPO DE RIO DO SUL



17 de dezembro de 2014. O quê há alguns anos se cogitava, eis que se tornou realidade: o Papa Francisco escolheu para novo Bispo de Rio do Sul, o nosso querido Pe. Onécimo. Estudamos juntos no Seminário Menor em Tubarão e na Faculdade de Filosofia, na FESC. O chamávamos carinhosamente de “Sebinho”. 

Particularmente a mim, marcou-me sua simplicidade de ser, seu caráter de homem correto e sereno, e seu compromisso com o Reino de Deus! Amado no interior de Orleans, numa das vilas de Barracão, construiu “pontes” entre corações por todos os ugares que passou. Rezarei ainda mais por este nosso irmão que aceitou mais uma missão tão exigente e desgastante. Abaixo, o texto do site da Diocese de Criciúma sobre o Pe. Onécimo.

O povo de Deus da Diocese de Criciúma foi surpreendido, na manhã desta quarta-feira, 17, com a notícia da nomeação do Padre Onécimo Alberton como Bispo da Diocese de Rio do Sul (SC), situada na região do Alto Vale do Itajaí, no centro do Estado. Padre Onécimo exerce, desde 28 de julho de 2013, a missão de pároco na Paróquia São Paulo Apóstolo, no bairro Michel, em Criciúma. Ele também é presidente da Cáritas Diocesana e coordenador da Pastoral Presbiteral.

A publicação da nomeação se deu às 12 horas (9 horas no horário de Brasília), pelo Papa Francisco, na Praça São Pedro, em Roma. Recentemente, Padre Onécimo se especializou através do Mestrado em Teologia Espiritual pelo Pontifício Instituto de Espiritualidade Teresianum, na capital italiana, como aluno do Colégio Pio Brasileiro.

“O comunicado sobre minha nomeação, feita pelo Papa, aconteceu através de um telefonema do Núncio Apostólico Dom Giovanni D’Aniello, na manhã do dia 25 de novembro. Na ocasião, o mesmo marcou a data para divulgação, que seria feita pelo Papa neste dia 17”, relata Padre Onécimo.

Escolhido pela Igreja para ser titular na Diocese conduzida por Dom Augustinho Petry, que se torna bispo emérito, Padre Onécimo afirma que sempre procurou viver o ministério presbiteral junto ao povo de Deus, unidos aos bispos com os quais conviveu e foi obediente e com o presbitério. “Amo aquilo que sou e procuro fazer com que aquilo que faço seja expressão deste amor, como resposta de gratidão a Deus pelo chamado que Ele me fez”, acrescenta.

Natural da comunidade de Brusque do Sul, interior de Orleans (SC), Padre Onécimo nasceu em 16 de fevereiro de 1965, tem 49 anos de idade e 22 de sacerdócio. É filho de Mozé Alberton e Laura Bagio Alberton e tem quatro irmãos: Maria Begair, Altair, Aldair e Zoê Moisés.

Coragem para assumir a nova missão

Questionado sobre o que a nomeação do Papa Francisco desperta em seu coração, Padre Onécimo Alberton repete as palavras remetidas ao Núncio Apóstolico, porta-voz do Sumo Pontífice no Brasil:

“Reafirmo o que falei a Vossa Excelência Reverendíssima: não me vejo humanamente preparado e digno para tão grande responsabilidade, porém cheio de temor e tremor, abro meu coração para fazer em tudo a vontade de Deus e acolher com docilidade, amor e fidelidade às orientações da Igreja.

Com todas as minhas fragilidades, me encaminho para o deserto do silêncio sigiloso, na confiança de ser assistido pelo Senhor nas noites e nos dias que se tornaram, para mim, mais longos. Recolho-me, na minha pequenez, junto à Mãe da Divina Providência, para que me ajude a compreender e acolher tão grande responsabilidade que a Igreja me confia neste momento da vida presbiteral.

Sou grato a Deus pela vivência amorosa e gratuita do sacerdócio, junto ao povo de Deus desta Diocese de Criciúma; à minha família, onde recebi o dom da vida e da fé; às paróquias e comunidades por onde passei; às lideranças leigas, com seu testemunho contagiante; aos Conselhos de Pastoral, aos Conselhos Presbiteral e de Formação; ao Colégio de Consultores; às Assembleias de Pastoral; à Família Presbiteral onde vivo a fraternidade; aos Bispos, com os quais sempre busquei caminhar na unidade; ao Seminário Maior de Teologia de nossa Diocese e aos Seminaristas; à Cáritas Diocesana, onde atualmente sou Presidente; à Pastoral Presbiteral e, de modo especial, à Paróquia São Paulo Apóstolo, onde sou Pároco. Por último, aos colegas padres do Colégio Pio Brasileiro, onde realizei os estudos na área de espiritualidade no Instituto Teresianum em Roma, bem como aos reitores, professores e orientadores espirituais que me auxiliaram naquele processo formativo. Em meu coração procurei, tão somente, viver com satisfação e alegria o ministério presbiteral, desconhecendo que o Senhor havia outros planos para mim.

Abraço esta nova missão contando com o carinho, apoio e solidariedade do Povo de Deus das comunidades e paróquias que compõem a Diocese de Rio do Sul, do presbitério, dos religiosos e religiosas, dos futuros irmãos no episcopado, de Dom José e Dom Augustinho, bispos eméritos. Com o auxílio de Deus Pai, Filho e Espírito Santo e com ajuda da Igreja, acolho como projeto de vida para esta nova missão as palavras do Evangelho: “Eu, porém, estou no meio de vós como aquele que serve” (Lc 22, 27c). 

Formação

Em 1976, cursou o Ensino Fundamental no Seminário São José, da Congregação dos Josefinos de São Leonardo Murialdo, em Orleans. Em 1980, cursou o Ensino Médio no Seminário Diocesano Nossa Senhora de Fátima, em Tubarão. Em 1985, licenciou-se em Filosofia na Fundação Educacional do Sul de Santa Catarina (FESC), hoje Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), em Tubarão. Em 1986 fez estágio pastoral na Paróquia Sagrada Família, em Araranguá, quando a época o pároco era o Padre Ademar Paulo De Fáveri. Iniciou seus estudos em Teologia Dogmática no ano de 1987, no Instituto Teológico de Santa Catarina (ITESC), em Florianópolis. Em 1989 fez parte da equipe de formadores do Seminário Menor Nossa Senhora de Fátima, em Tubarão. No ano de 1991 concluiu seus estudos em Teologia Dogmática, em Florianópolis. Também nesse mesmo ano concluiu a Pós Graduação na área de Psicopedagogia, na Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição, em Viamão (RS). No ano de 1992, foi residir na Paróquia São José Operário, no bairro Oficinas, em Tubarão, junto aos padres Ademar Paulo De Fáveri e Antônio Damiani (em memória). Nesse ano, coordenou a Pastoral Vocacional da Diocese de Tubarão.

Pastoral

Padre Onécimo foi ordenado Diácono em 31 de maio de 1992, na Igreja Santa Otília, em Orleans, sendo pároco na época Padre Santos Sprícigo (em memória). Foi ordenado Padre no dia 27 de setembro de 1992, na comunidade de Brusque do Sul, sua terra natal, tendo por Bispo Ordenante Dom Hilário Moser e como lema sacerdotal “Ensina-me o teu caminho, Senhor, e caminharei segundo a tua vontade” (Sl 86,11). Em 14 de fevereiro de 1993, foi nomeado pároco da Paróquia Nossa Senhora da Natividade, de Cocal do Sul. Em 1998, foi integrado ao clero da Diocese de Criciúma, por ocasião de sua criação, tendo como bispo Dom Paulo Antônio de Conto. Entre os anos de 2001 e 2010, foi Reitor do Seminário Teológico Bom Pastor, em Florianópolis. No ano de 2010 formou-se Bacharel em Teologia Dogmática, no Instituto Teológico de Santa Catarina (ITESC), atual Faculdade Católica de Santa Catarina (FACASC), em Florianópolis. No ano de 2011, foi nomeado vigário da Paróquia São José, em Criciúma, de onde se dirigiu, no mesmo ano, em 27 de agosto, para estudos em Roma. De 2011 a 2013, cursou o Mestrado em Teologia Espiritual pelo Pontificio Istituto di Spiritualità Teresianum, e foi aluno do Colégio Pio Brasileiro, em Roma. Em 28 de julho foi nomeado pároco da Paróquia São Paulo Apóstolo, no bairro Michel, em Criciúma. Nesse período foi eleito presidente da Cáritas Diocesana de Criciúma e escolhido Coordenador da Pastoral Presbiteral.



Diocese de Rio do Sul

A Diocese de Rio do Sul, que tem por padroeiro São João Batista, compõe-se de 31 paróquias, 487 comunidades constituídas e 51 centros de atendimento, além de quatro seminários. Tem uma população de mais 306 mil habitantes (censo 2010), sendo mais de 237 mil católicos (censo 2000). Abrange 32 municípios do Alto e parte do Médio Vale do Itajaí. Foi criada pelo Papa Paulo VI, com a Bula Quam Máxime, em 23 de novembro de 1968, porém tornada pública apenas em 12 de março de 1969, quando da indicação do 1º Bispo, Dom Tito Buss (em memória). A Diocese de Rio do Sul foi instalada em 3 de agosto de 1969, desmembrada quase na sua totalidade da Diocese de Joinville e, em parte, da Arquidiocese de Florianópolis. É composta pelos municípios de Agrolândia, Agronômica, Alfredo Wagner, Apiúna, Ascurra, Atalanta, Aurora, Benedito Novo, Chapadão do Lageado, Dona Emma, Doutor Pedrinho, Ibirama, Imbuia, Ituporanga, José Boiteux, Laurentino, Lontras, Mirim Doce, Petrolândia, Pouso Redondo, Presidente Getúlio, Presidente Nereu, Rio do Campo, Rio do Oeste, Rodeio, Salete, Santa Terezinha, Taió, Trombudo Central, Vidal Ramos, Vitor Meireles e Witmarsum. Em 29 de julho de 1998, Dom José Jovêncio Balestieri foi nomeado Bispo Coadjutor da Diocese e, a partir do dia 1º de setembro de 2000, assumiu como 2º bispo da Diocese de Rio do Sul. Em 22 de dezembro de 2007, tomou posse como Bispo Coadjutor Dom Augustinho Petry que, em 19 de março de 2008, tornou-se o 3º bispo diocesano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário