PARÁBOLA DO NOVO FAROL



Muito longe daqui, no meio do oceano, há uma pequena ilha, bem na rota de muitíssimos navios e embarcações de pesca, de transporte de mercadorias e passageiros. No alto do morro mais alto da ilha foi construído um farol para orientar os navegadores a fim de não colidirem contra os corais e os rochedos da ilha. A pequena comunidade de nativos tem muito orgulho de poder colaborar para impedir trágicos acidentes. O farol é alimentado diariamente por óleo diesel. 

Certa noite, porém, o farol não foi aceso porque acabou inesperadamente a reserva de combustível e ninguém avisou para providenciarem mais. A comunidade se reuniu na praça da vila para tentar resolver a situação. Quando todos já se conformavam de que não havia nada mesmo a ser feito, um jovem deu a sua opinião: “Eu vou subir a montanha, acender uma vela para orientar os navios”. 

Todos riram da ideia, pois “o que pode uma vela acesa no meio do oceano?”. Mas ele fez o que planejara. Alguns de seus colegas, ainda duvidando da estratégia, decidiram acompanhá-lo. Ao poucos a subida do monte foi ficando iluminada; outros moradores e, por fim, todos os habitantes subiram o morro empunhando velas acesas. 

O que se pôde ver dos barcos foi um morro todo iluminado. Os navegadores puderam precaver-se dos perigos iminentes e prosseguir com segurança seu itinerário.

Comentários