FESTA DE PASSOS EM IMARUÍ – SERMÃO DO ENCONTRO – 2013


17 de março de 2013. 16:30h. O ápice da Festa de Passos, dentro da espiritualidade da Passio Açoriana, é o momento em que as imagens da Senhora das Dores se encontra com a imagem do filho que carrega a cruz. Neste ano o pregador do Sermão do Encontro foi o Pe. Hélio da Cunha, pároco de Santo Antônio, de Campinas, em Florianópolis. Abaixo transcrevo a sua reflexão.

Na Carta de São Paulo aos Romanos 10,17 encontramos que “a fé vem pela pregação”. Mas é preciso escutar Deus que quer falar conosco. Em Gál 5,6 lemos que “a fé se concretiza no amor”, como fêz Jesus. “Sem obras, a fé é morta”, ensinou São Thiago. Nós temos dificuldade de compreender estas coisas. Mas Tu, Senhor, és misericordioso!

Os apóstolos não haviam assimilado este ensinamento e fugiram na hora do calvário; exceto Maria e João. Onde estão os que foram tocados e curados? É mesmo preciso que Ele morra? E por que nós, romeiros, estamos aqui nesta tarde? Procuramos a vida ou a morte em Jesus? Irmãos, ele nos ensina a sofrer, a assumir a cruz. Eu lhes pergunto: qual a influência d’Ele em nossa vida? Por que tanta revolta, violência, incendiar carros, politicagem, brigas no futebol, tanta raiva entre as pessoas...? Por quê? Porque esquecemos o Plano arrojado de Jesus para nós. A vida digna!

Percebemos que existe compaixão entre nós, mas não a caridade. Eu queria ver meus irmãos tratados como gente. Bastava deixar você, Jesus, falar mais alto. Tu que acolheste a adúltera, acolhe este povo também, Senhor. És misericordioso e nós precisamos ser melhores em nossa vida. O caminho é assumir a cruz, seguir Jesus, fazer opção por Ele. Pois, viver sem Jesus é pior do que ficar doente!

A bondade nos eterniza. Seremos julgados pelo amor. Pois Jesus disse: “estava com fome e me deste de comer; com sede, e me deste de beber”. Deixemo-nos encantar por Jesus para, assim, podermos levar os outros também para o Céu.

A força mais poderosa que existe é a fé. Ela muda a face da Terra. Leva-nos a olhar as coisas como Deus as vê. Portanto, como nos ensinou Santa Paulina, nada de desanimar, “embora os ventos contrários”. Acredite: Deus está em mim, que maravilha! É urgente tirarmos a ‘anemia espiritual’.

Cremos que Jesus se enamora de nossa fraqueza. Pois, como disse São Paulo, “pela Graça de Deus sou aquilo que sou”. Podemos cultivar coisas boas em nós. Então estaremos em paz. Jesus traz a verdadeira paz que é capaz de transformar e sacudir o marasmo que nos sepulta. Como cristãos precisamos deixar-nos ‘incomodar’ e não ‘acomodar’, sem covardia. Precisamos libertar-nos das amarras e muralhas do caminho.

Eis a verdadeira Páscoa! É a revolução do Amor! Uns apedrejando os outros não resolve. Como disse Santa Terezinha, “é preciso fazer chover pétalas de rosas” sobre nós. Irmãos, Jesus está vivo em nós!

Ao contemplarmos o Encontro destas duas imagens, recordo a aflição dos pais. Vejam, Maria está em pé! Ensina-nos a termos esperança e coragem diante da cruz. Podemos aprender com os nossos jovens. Neste ano da JMJ eles estão gritando “Bote fé”! Eles nos exortam: botem fé em Jesus e Maria! No Calvário João e Maria apontam para Jesus. Sim, Ele é a solução para tudo! Neste encontro entre mãe e filho, nós também estamos presentes; dele participamos.

Comentários