terça-feira, 27 de março de 2012

SOB CHUVA ACONTECE A NOVENA DE PASSOS EM IMARUÍ

23 de março de 2012. 20h. Foi com muita alegria que recebi o convite para presidir a novena solene da Festa de Passos, antecedendo a Procissão do Silêncio. Toda a população da região estava feliz neste dia porque, depois de grande estiagem, voltava a chover.


Evidentemente que, para quem precisava deslocar-se de sua residência para ir à matriz de Imaruí, não era nada fácil. Chovia torrencialmente.


Alguns dos romeiros que caminham das localidades vizinhas até Imaruí foram surpreendidos pela enxurrada. Mas, mesmo assim, a igreja de São João Batista ficou repleta de devotos do Sr. dos Passos e da Senhora das Dores. Não fosse a tempestade, ficaria hiper-lotada. Iniciei a celebração na hora marcada, até porque a Rádio Litoral estava transmitindo o evento.


A animação foi da Associação Coral Senhor do Bom-fim, de Cangueri Quadro da Capela, do interior do município. À frente dos cantores, o maestro Toninho Costa. A novena foi cantada em Latim, como de costume.


Na pregação recordei os pontos principais da devoção aos santos e o lugar das imagens na nossa fé. Contei a história da chegada da veneranda imagem de Passos. Os seminaristas Lucas Bittencourt, José Luiz e Jonas me acompanharam e me auxiliaram na Adoração. Também o seminarista Thiago Francisco, filho de Imaruí, estava acolitando. As Irmandades de Passos e da Sra. das Dores deixaram os andores bem arrumados.


Toda a cidade já está respirando ares de Festa de Passos. Nas noites anteriores aconteceu uma série de eventos na igreja. O pároco nos acolheu e, terminada a celebração, nos ofereceu um lanche em sua residência. Mas, e a tal Procissão do Silêncio? Bem, visto que a chuva torrencial não deu trégua alguma, a Irmandade achou por bem aguardar o momento oportuno para não colocar em risco tão preciosa imagem. Isso o povo entende bem. Logo se iniciou mais um momento de orações e cânticos na matriz.


O povo aguardava pelo início da procissão. Especialmente os romeiros que vieram de outras cidade e até de outros Estados. O pároco pediu que eu ajudasse a preparar a comunidade para a Procissão. Aproveitei para ler o que eu mesmo escrevi no meu livro “Imaruí do Senhor dos Passos” sobre o sentido desta procissão que, visto que não temos outro conhecimento, só acontece nesta terra santa. Terminei convidando a comunidade a cantar “Ó meu Jesus Amado”.


A assembleia transformou-se num grande e maravilhoso coral para homenagear o Senhor Bom Jesus. Tivemos que retornar para Tubarão. Já era quase 24h. No caminho percebemos que a chuva aliviara, mas, infelizmente, acabamos nos envolvendo num acidente automobilístico nas proximidades da capela de São Sebastião, na Estiva dos Pregos (Capivari de Baixo). Apenas danos materiais.


Depois viemos a saber que, exatamente naquela hora, os Irmãos de Passos decidiram transladar a imagem, aproveitando o tempo favorável. Passada a tempestade, perceberam até estrelas brilhantes no céu. Algumas poucas pessoas ainda estavam na matriz para acompanharem a preciosa imagem à sua Capela de Passos, no outro lado da cidade, na margem da lagoa. E lá ela ficou sob os cuidados dos Guardiões e sendo venerada pelos devotos. Somente ao anoitecer daquele dia é que ela seria transladada de volta para a matriz, numa solene e concorrida procissão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário